Seu Negócio

Informações e dicas de especialistas e donos de estabelecimentos que contribuem para conquistar o sucesso do seu negócio.

Operação Covid-19

Dicas para expandir o seu negócio e transformá-lo em franquia

Publicado em 29.09.2020

5 passos para uma rede de franquias saudável

1. Aposte no perfil certo de franqueado

Conduzir entrevistas com os interessados em abrir uma franquia é uma maneira boa de encontrar o perfil que se encaixa com o seu negócio. Padronização de serviço também passa por perfil profissional.

2. Invista em treinamento de franqueados

Para manter a consistência da sua rede, promova um treinamento inicial robusto. Assim, você coloca os franqueados na mesma página. Treinamentos, confraternizações e atualizações subsequentes também são importantes.

3. Prepare um material de suporte minucioso

Manuais e fichas técnicas são imprescindíveis para manter a qualidade dos seus produtos e serviços. Capriche nesse conteúdo para torná-lo didático, enxuto e facilmente compreensível para todos.

4. Mantenha uma comunicação aberta

Uma das grandes frustrações de franqueados é a dificuldade de comunicação com a matriz. Hoje em dia, existem sistemas digitais e aplicativos que facilitam essa troca entre franqueados e franqueadores.

5. Centralize a produção, se possível

Uma saída para reter maior controle sobre a qualidade das franquias é centralizar a produção. Por outro lado, franquias que trabalham com produtos cuja qualidade está atrelada ao frescor, como sorvetes artesanais, devem evitar essa opção.

Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento de alimentação foi um dos que mais se destacaram no ano passado. Atualmente, existem mais de 700 marcas de franquias de alimentação, representando 27,2% de todo o setor. Isso se traduz em 34 mil lojas de franquias de alimentação operando no Brasil.

Quem tem mais de uma unidade sabe as dificuldades de administrar mais de um estabelecimento ao mesmo tempo, por isso, abrir franquias pode ser uma boa opção. É uma alternativa que possibilita a expansão de maneira rápida e organizada, já que as responsabilidades passam a ser divididas entre o franqueador e o franqueado.

O principal receio ao transformar seu negócio em uma rede é a perda do controle sobre a qualidade. Por isso, padronização e treinamentos são essenciais na fase de implementação de novas franquias. “A franqueadora deve ser responsável na criação e fornecimento do máximo de materiais e também pelo treinamento dos franqueados. Dessa maneira, os franqueados conseguem manter o padrão. Além dos materiais, fazemos visitas técnicas periodicamente para entender como os franqueados estão operando, e com isso, pensar em estratégias de melhoria”, afirma Bruno Jerke, CEO da rede de franquias catarinense Calzoon Sucos e Calzones, que já conta com mais de 50 unidades espalhadas pelo país.

Outra possibilidade para manter a qualidade é centralizar a produção. Essa foi a alternativa encontrada por Valéria Verdi, proprietária da Torteria Haguanaboka, que já tem três décadas de tradição e há cerca de 4 anos converteu-se em uma rede de franquias. “Optamos, a princípio, em investir em uma cozinha industrial central que envia os produtos às lojas. Os colaboradores das lojas recebem treinamentos de montagem e finalização, de modo que o cliente possa encontrar o mesmo produto, com o mesmo sabor e visual, em qualquer uma de nossas unidades”, conta.
Além dos treinamentos, para Rafael Matos, sócio do N1 Chicken, ter um manual é essencial para promover a padronização entre todas as unidades. “Contamos com o auxílio de manuais que entregamos a nossos franqueados. Além disso, usamos uma ferramenta digital inovadora que permite o contato direto entre franqueadora e franqueados”, conta.

Segundo o sócio Gê Araujo, da rede de hamburgueria Mais Burguinho, trabalhar com métodos de padronização é essencial para que o franqueado não mude a essência da marca. “A maior dificuldade no processo de franqueamento é desenvolvimento para que os franqueados entendam que não pode mudar os itens que dão a identidade à marca”, afirma.
Para Dennis Szaf, gerente de franquia da Confraria Paulistânia, para dar certo deve haver uma parceria entre franqueador e franqueado. “Tudo começa na definição do perfil ideal de franqueado para que possamos ter um bom relacionamento com os franqueados”, diz.

Ricardo José Alves, CEO da Halipar, holding que reúne cerca de 400 franqueados das marcas Griletto, Montana Grill, Jin Jin e Croasonho, conta que a melhor alternativa para ver se um interessado em ser um franqueado tem o perfil para gerir uma unidade é lhe dando a oportunidade de testar. “Uma das formas mais certeiras para o candidato interessado conhecer mais sobre a franquia e sobre os processos e entender se é isso mesmo que ele quer, é promover um ‘test-drive’. O candidato passa um final de semana na loja com um consultor do grupo e vivencia todas as situações possíveis. Posso dizer que 99% dos candidatos que passam pela experiência, fecham negócio.